anterior
Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Email this to someoneShare on Facebook
QR CODE

Razões para aprender programação

capa

Aprender uma linguagem de programação ou saber decifrar partes de um código não é uma tarefa fácil para muitas pessoas. Muitas daquelas que se aventuram pelo campo do desenvolvimento da programação de páginas web dinâmicas acabam aprendendo da maneira mais dura que programar é uma tarefa que exige bastante estudo, dedicação e sim, muito treino. Muitos acabam se desinteressando pelo assunto, outros preferem desenvolver suas aptidões em design, seja por sentirem-se mais confortáveis ou por possuírem um talento nato nessa área.  Mas todos nós sabemos que programar estimula o raciocínio lógico, seja para desenvolver uma nova maneira de enxergar as coisas ao redor, seja para acessar uma página, uma rede social, um formulário de e-mail, acessar um banco de dados, entre outros recursos. Saber como essas coisas funcionam distingue quem entende tecnologia de quem gosta de tecnologia. E o conhecimento de  linguagens de programação é um dos fatores mais importantes nesse entendimento pelo simples fato de que são essas linguagens e seus respectivos códigos  que fazem boa parte das tecnologias web funcionarem.

O grande problema atualmente é que muitas pessoas ainda não reconhecem a necessidade desse tipo de aprendizado, assim como muita gente ainda não vê a importância do aprendizado de matérias como a matemática, a física ou a química quando não há interesse profissional ou financeiro no assunto.

A alfabetização em programação é algo fundamental para quem quer desenvolver páginas dinâmicas para sites. Hoje sabemos que a maior parte de um site , assim como os seus recursos mais apreciados, vem dos recursos desenvolvidos em programação. Todos os grandes sites, redes sociais, lojas de e-commerce, jogos, todos eles tem como base a utilização de linguagens de programação. Vivemos em uma realidade que avança diariamente em termos de tecnologia, portanto, nada mais justo do que valorizar o aprendizado dessas linguagens em nossos estudos.

Dedique-se ao conhecimento

04

Seja em qualquer linguagem de computador, do HTML simples ao complexo C + +, saiba que programar exige dedicação, não só para a tecnologia, mas para as alterações dessa tecnologia. Há uma razão para saber que você está utilizando HTML5: quando o HTML6 surgir, você terá coisas novas para aprender. É assim que funciona. Para os preguiçosos de carteirinha, é uma má notícia: como a maior parte dos conhecimentos dessa área, tudo sempre dependerá de mais estudos para acompanhar a evolução e desenvolvimento dessas linguagens, e isso provavelmente é um ciclo interminável.

Ainda assim, “escrever um código” é uma expressão ampla. Algumas linguagens são mais fáceis do que outras. Algumas linguagens exigem uma compreensão de como o software “fala” com o computador. Como iremos ver mais para a frente, cada uma delas possuem suas características próprias. Mas a parte mais importante desse tipo de aprendizagem é sempre manter a mentalidade e a atitude correta.

Com tantos desafios, você deve estar pensando quais as possíveis razões para se lançar através do processo de aprendizagem de linguagens de programação, certo? Pois aqui vão algumas:

  • Para ganhar confiança: muitos pensam que se dominarem uma linguagem, vão se sentir menos intimidados pelo computador e pelo próprio estudo do desenvolvimento web. Embora isso seja uma meia verdade, poderá se tornar uma verdade absoluta se você se dedicar ao assunto.
  • Necessidade: quer você queira ou não, surgirão problemas técnicos no seu projeto. Problemas relativos a funcionalidade. E quando esses problemas aparecerem, eles necessitarão ser resolvidos. Aí não tem jeito: você vai ter de arregaçar as mangas para tentar resolvê-los. Faz parte da profissão, e evitar encarar essa verdade não vai fazê-la desaparecer.
  • A emoção: algumas pessoas simplesmente gostam de aprender novas habilidades. Faz parte de seu desafio e seu gosto pessoal. Gostam de experimentar a sensação de poder superar um problema e atingir metas.
  • Para entender o que é possível: um desenvolvedor sempre tem em mente a expansão de seus conhecimentos para solução de novos problemas. Quer saber os limites que pode alcançar, as possibilidades do que pode ser feito com cada linguagem e utilizar toda a sua curiosidade e energia nisso.

Mantenha-se curioso

03

A curiosidade é uma virtude necessária para o conhecimento. Sem ela, muitas das invenções humanas não teriam saído da mente de grandes inventores e provavelmente você não estaria lendo este texto em uma tela de computador.

Todos nós possuímos curiosidade sobre diversas assuntos diferentes e em diferentes níveis. A curiosidade se baseia no desejo de aprender mais sobre um determinado assunto. Ela nos levou a explorar nosso mundo, e até mesmo além, como no caso da viagem á Lua e das futuras explorações planejadas á Marte. Ampliou nossa capacidade para curar nosso organismo e nos deu melhor compreensão sobre nossos próprios genes. O desafio é usá-la e desenvolvê-la para o próprio crescimento!

Arrisque-se

05

Nada como um bom desafio para forçar-se a desenvolver seus próprios códigos, certo? Que tal arriscar-se e aceitar “aquela” proposta de trabalho que vivem te oferecendo para fazer seu primeiro site? Nada como a descoberta de obrigações e prazos de entrega para lhe impulsionar nessa tarefa. Provavelmente você irá enfrentar inúmeras dificuldades em terminar o projeto, e talvez até mesmo não consiga alcançar o objetivo final (precisando apelar para o seu professor ou algum amigo mais experiente para concluir a tarefa). Mas não tenha medo: nessa caminhada será inevitável aprender muito mais do que sabe e você irá se surpreender com sua capacidade de mover-se em busca de conhecimento.

Exercite o bom e velho sistema de recompensas

07

Nada melhor do que a sensação de fazer seus próprios códigos e pensar “eu escrevi isso e… olha o que eu fiz!” e ser tomado pela sensação de ser maior do que o obstáculo que você enfrentou. Esse sentimento pode até parecer bobo até que você o experimente. Ver seu código sendo executado e em funcionamento dá uma grande sensação de autoconfiança, uma validação de que você pode e deve dominar a máquina. Além do mais, lembre-se que isso o levará a desenvolver mais e melhores páginas, cada vez com mais facilidade e aumento do número de recursos. E isso se refletirá nos seus ganhos em sua vida profissional.

Não sobrecarregue sua mente

08

Ao aprender algo que você sente que o intimida você deve aprofundar-se, mas não exceder o seu limite. O aprendizado é uma fome. Seu cérebro tem um apetite por conhecimento, mas sobrecarrega-lo até o limite irá dificultar a sua capacidade de aprender, corroer a sua autoconfiança e matar sua vontade inicial.

Crie um horário fixo para os estudos e não deixe de fazer pausas entre seus aprendizados. Por pausas, entenda por dormir, comer ou conversar com outros seres humanos. Outra boa dica para não criar uma grande pressão sobre o seu aprendizado é misturar algo que você já aprendeu com algo que você ainda não sabe para estimular o conhecimento aos poucos e evitar frustrações.

Pratique

02

Se você trabalha com design, lembre-se como foi na primeira vez que você utilizou um programa em que trabalha bem hoje em dia. Como o Corel Draw ou o Photoshop, por exemplo. Lembre-se de como você via os trabalhos de seus amigos com admiração e determinou-se a aprender a fazer coisas iguais a eles. Recorde-se como no começo as ferramentas pareciam incompreensíveis e você pensava que o programa era complexo demais para que pudesse dominá-lo. No entanto, hoje tudo parece tão simples e fácil, e você utiliza os recursos com tanta facilidade que sente-se completamente familiarizado com tudo, certo? Pois é, a aprendizagem de qualquer habilidade, incluindo a de fazer seus próprios códigos, funciona da mesma maneira.

A única maneira de aprender a codificar é praticar todos os dias. Como aprender qualquer nova habilidade, uma programação consistente com os objetivos gerenciáveis  melhora gradualmente o desempenho ao ponto de especialização.

Querer nem sempre é poder

06

Parte de aprender a ler e escrever código, seja HTML, jQuery, ou C + +, é aprender os limites de cada um. Outra parte é explicar os limites de cada um.

HTML não é CSS. CSS não é PHP. PHP não é ASP. Estude cada uma das peculiaridades de cada linguagem. Respeite-as. Se não tiver paciência com cada uma delas e suas diferenças, dificilmente será um bom programador.

Muitas vezes, você irá desejar abraçar o mundo da programação aprendendo de tudo um pouco ao mesmo tempo. É um erro. Tente começar com o mais simples. Explore cada possibilidade e teste seus códigos até compreendê-los profundamente. Então, passe para a próxima linguagem. Dê um passo de cada vez. Você irá perceber com o tempo que o aprendizado de uma linguagem irá auxiliá-lo na compreensão de outra.

Espero que essa pequena introdução ao tema tenha ajudado a estimular a sua vontade de aprender. Nunca é tarde para enfrentar novos desafios. E lembre-se: esses conhecimentos serão imprescindíveis no futuro! Provavelmente, daqui a alguns anos seja impossível criar qualquer tipo de página sem o estudo das linguagens de programação. Portanto, pare de adiar e mãos à obra:  comece a tentar fazer os seus códigos hoje mesmo!

Você é um designer que gostaria de ser um programador? Quais as linguagens de programação você tem mais dificuldades? Desenvolveu algum método próprio para aprender a programar? Deixe-nos saber o que você pensa nos comentários abaixo.

Próximo

Postado por

Web designer, Ilustrador e produtor visual gráfico, santista de nascimento e de coração, amo o que faço e estou muito feliz em fazer parte da equipe Microcamp.

Postagem Relacionada

Mulheres Programadoras
Gênios da Informática – Mulheres Programadoras Gates, Jobs, Pascal, Boole…  A história da informática está