anterior
Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Email this to someoneShare on Facebook
QR CODE

Face, Face meu… Existe mundo melhor do que o teu?

Para entender as origens, em Sociologia, são chamadas “redes sociais” o conjunto de relações entre membros de um sistema social (comunidade), que ao se comunicar, trocam experiências e informações.

Quando falamos em “Redes Sociais” em nosso modelo de sociedade tecnológica, pensamos na web, destinada a aproximar pessoas e promover comunicação.

Hoje, nosso principal foco de  redes Sociais é o Facebook, que  já conquistou mais de 1 bilhão de  usuários. O Brasil está entre os cinco países que mais apresentam novos registros à rede, ao lado de Índia, Indonésia, México e Estados Unidos.

Graças  às novas  tecnologias  móveis, ficamos cada vez mais conectados: já são mais de 600 milhões de usuários, só em terminais móveis.

Cada vez mais constantemente, teremos a sensação  de que, antes mesmo da certidão de nascimento, as pessoas já têm seus primeiros registros nas redes sociais. Antes de aprender a escrever, crianças aprendem a registrar  a vida numa página, garantir curtidas e compartilhamentos.
É assim que o descontrole sobre a vida virtual cresce na mesma proporção do sucesso da rede.

 

O comportamento evolui, desde que o mundo é mundo. E com isso, hábitos também mudam.
Quadrinhos, desenhos, fotos e frases que fazem sucesso no Facebook, chamam atenção, mudam pensamentos, compartilham opiniões.

MEME: termos, frases, imagens – quase sempre contendo humor – que se popularizam rapidamente entre os internautas e viram bordões usados no dia a dia como forma de expressão.

O Facebook conecta pessoas e garante diversão e entretenimento através de postagens e colaboração. Para seus fundadores, colaboradores e parceiros, é uma ferramenta eficiente, para geração de lucros e informações, já que cada usuário mantém este banco atualizado diariamente, a cada ação dentro do Facebook.

O Facebook é capaz de criar clientes  em potencial, divulgando  gostos, opções de consumo, auxilia a área de marketing e propaganda – é uma ferramenta que consolida informações e opiniões e dá respostas rápidas.

A informação é valiosa e hoje, e cada vez mais, é tratada como moeda de troca.

Mas, alguns questionamentos sobre o seu relacionamento com o Facebook são importantes:

– Já tentou estudar com o Facebook aberto?

– Já esteve, durante o período de trabalho ou com um cliente e, sem querer, deu aquela espiadinha no celular, acabou curtindo uma  foto.

– Se deu conta do quantas coisas você faz diariamente sem adedicação o foco que precisava?

É, ultimamente, as  pessoas vêm conduzindo uma dupla  jornada de atenção entre seus afazeres e as redes sociais.

Isso pode ser sinal de prejuízos no seu desenvolvimento pessoal, profissional, acadêmico – se não for tudo muito bem equilibrado.

As possibilidades são infinitas e, com o foco certo, você terá muitas vantagens com as redes sociais, mas é verdade que este comportamento vem chamando atenção da  ciência, e transtornos sociais e psicológicos vêm sendo descobertos.
Você não deve abrir mão dos momentos em família, com os amigos, no mundo real. Também não deve se frustrar ou se empolgar demais somente com o sucesso (ou não) nas redes sociais.

Tudo é muito compensador e imediato, mas são somente ferramentas virtuais e não devem, de maneira nenhuma, governar os seus dias, horários, compromissos ou popularidade.

Não precisa ser radical, sabemos que o Facebook é um mundo democrático e dá oportunidade a todos de expandir sua liberdade de expressão.
Seu mundo virtual é aceitável, desde que você saiba o tempo certo para iniciar e cancelar sua conexão: o mundo precisa de PESSOAS, no sentido mais amplo da palavra.

Ruth de Aquino, Colunista,  da Revista Época,  fala  dos exageros  na Rede: “Amigos, amigos, Facebook à parte. As redes sociais viraram confessionário. É constrangedor testemunhar tanta lavação de roupa suja.” Vale a pena conferir. Leia na íntegra.

Em Outubro, o Jornal Hoje abordou o assunto: “Viciados em internet passam cada vez mais tempo vivendo virtualmente. É possível identificar os sinais que indicam o vício em internet. Quem passa dos limites transforma a relação com o mundo virtual tem um problema de saúde.”Dica: Quer  conhecer ainda mais a história do Facebook? Assista A Rede Social:


Curtam, sem moderação. A informação deve ser compartilhada de maneira saudável.

APRENDA, PRATIQUE, PRODUZA!!! AGUARDEM MAIS UMA DE  NOSSAS POSTAGENS!

Próximo

Postado por