anterior
Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Email this to someoneShare on Facebook
QR CODE

Espanhol ou Castelhano?

 ¿Qué yo hablo?

mafalda_home

A Mafalda é personagem ícone da cultura argentina.

Com a evolução do homem, vimos a estrutura de sociedade a partir da necessidade de sobrevivência

Com isso, criam-se costumes e cultura, cada sociedade tem sua maneira de interpretar e vivenciar momentos que são singulares. Vamos então ver como algumas semelhanças e diferenças na língua espanhola e até latino-americana.
Uma das primeiras perguntas que geralmente ouço é:

 

“Qual o certo, Espanhol ou Castelhano?”

 

O idioma que hoje chamamos de Espanhol deriva da principal língua européia e do qual derivaram outros idiomas: falo do LATIM. O termo Espanhol é mais antigo. Remonta ao período em que a própria Espanha ainda não existia (século XIII D.C.). Tal termo teve origem da palavra em latim “Hispaniolus”, que era utilizado para identificar a Península Ibérica (Hispania).
O país em si começou a consolidar-se no século XIII D.C., quando o reino de Castela, começou então a conquista do território que hoje forma a Espanha, devido à liderança de Castela, o até então dialeto falado por esse povo na “Hispania”, foi adotado como idioma oficial, entrando em vigor no território no ano de 1492.

 

A Constituição Federal Espanhola promulgada em 27 de dezembro de 1978 determina que o Espanhol é o idioma oficial em toda a Espanha. Porém, em regiões em que exista uma linguagem própria a mesma torna-se oficial, como por exemplo o caso da Catalunha que fala o “Catalão” e Basco que fala o “Hizkuntza”.
Outra dúvida típica:

Espanhol, castelhano… por que a diferença da termologia?

Por questão de adaptação sócio-politica: os argentinos utilizam o termo Castelhano para citar seu próprio idioma. Porém, em zonas de fronteira com idiomas de forte influência, como o México em fronteira com os Estados Unidos, teremos o termo espanhol, por uso obrigatório, mantendo a força caracterizada pelo idioma.

Tudo isso nos leva a pensar “Será que realmente o Espanhol é o mesmo em todo o mundo?”

As regras gramaticais garantem a integridade do idioma, o que garante a gramática e a escrita/conversação formal.

Características desse idioma também são os pontos de exclamação e interrogação invertidos e são as que mais causam surpresa de muitos que passam a estudar o idioma. Isso é mais uma das regras gramaticais aplicadas, e entendem-se da mesma maneira que parênteses, colchetes, chaves ou aspas. Interpreta-se que as perguntas e exclamação tem um começo e fim, assim torna-se comprensível o uso desses pontos, como por exemplo:
• ¿Qué estás leyendo? ou ¡Cómo me alegras las canciones!

interrogación
Enfim, essas são algumas curiosidades do espanhol que vamos compartilhar, são coisas que passam em nossos pensamentos e fazem a diferença. Ter noção do desenvolvimento e origem de um novo idioma, visualizar o porquê de tantas regras, de costumes e culturas que atingem direta ou indiretamente à língua nos faz aprender com maior propriedade o idioma, tornando-o ainda mais atrativo e aumentando o nosso interesse pela língua.


 

Teacher David Brito é instrutor em Interlagos.

Próximo

Postado por

Postagem Relacionada

História dos Videogames (Parte 2) – PONG!
Olá gamers? tudo bem? Hoje iremos continuar nossa jornada pela história dos videogames, mas, hoje
  • Monica

    Qué yo hablo?… mmm… creo que no.