anterior
Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Email this to someoneShare on Facebook
QR CODE

Criando pendrive bootável com Linux no Linux sem usar programas

Bom, é certo que muitos que usam, ou estão começando a usar Linux, se deparam com esse problema. Qual programa usar pra criar um pendrive bootável com linux? Claro que existem programas que fazem isso, mas vou mostrar um forma simples e descomplicada de fazê-lo, usando linha de comando. Isso mesmo, linha de comando.

REQUISITOS

  • uma imagem ISO da distribuição linux que você quer colocar no PENDRIVE (pode ser qualquer uma)
  • Uma máquina com Linux
  • Um Pendrive vazio (se tiver arquivo, serão todos apagados durante o processo, então faça backup) de um tamanho que possa caber a ISO.

OBS: O pendrive depois de finalizado, não poderá ser lido no Windows, apenas no Linux, exceto pra fazer instalação, ou seja, bootar.

COMO O LINUX RECONHECE MEU PENDRIVE

Antes de mais nada é necessário saber que o linux (qualquer distribuição) não reconhece os pendrives e hd’s como o windows e portanto isso pode confundir muita gente.

Todos os dispositivos de armazenamento no windows são reconhecidos e identificados com um letra seguida de dois-pontos, como C:. Isso não acontece no linux. Eles são reconhecidos da seguinte forma:

Se o dispositivo (HD ou Drive de DVD ou CD) for do tipo IDE (pata), então ele será reconhecido como hdx. Onde x é a letra do dispositivo (a, b, c ou d). Vamos analisar a imagem abaixo:

Dispositivos do tipo IDE (ATA ou PATA)

Dispositivos do tipo IDE (ATA ou PATA)

Se o seu computador tiver dois conectores IDE então você poderá ter até quatro dispositivos conectados, certo?! Já que cada cabo pode-se conectar dois dispositivos. O conector do meio é reconhecido como secundário, e portanto seria a letra b (no caso do IDE 1) e letra d (no IDE2).

Uma observação importante a ser feita aqui é que os dispositivos do tipo IDE são reconhecidos exatamente de acordo como estão plugado, isto é, se na imagem acima nós tivéssemos somente um dispositivo plugado na 2 entrada (do meio) do segundo cabo IDEm então ele seria reconhecido como HDD.

3

Já os dispositivos do tipo Sata e USB (como pendrives e HD’s externos) são reconhecimentos pela sigla SDx, onde o x é letra referente ao dispositivo.

Vejamos outra imagem…

Dispositivos do tipo SATA e USB

Dispositivos do tipo SATA e USB

Na situação acima, nossa placa tem 4 conectores SATA e duas USB, então temos seis dispositivos conectados. Recebendo as respectivas letras. Porém a observação citada acima, não se aplica aqui.

Aqui funciona da seguinte maneira: “Quem chegar primeiro, leva a primeira letra…” Isso quer dizer que, se você conectar somente um HD do tipo SATA no terceiro conector ele receberia a letra A e não a C, pois ele é o único conectado.

Vamos ainda conectar um Pendrive na primeira entrada USB, que letra ele receberia? B. Isso porque ele foi o segundo dispositivo conectado.

4

Agora que entendemos como funciona a identificação dos dispositivos…. vamos criar nosso pendrive bootável.

PASSO 1. VERIFICANDO A LETRA CERTA DO MEU HD (HD e não pendrive)

Nós já sabemos, se for SATA e tiver somente um conectado, ele será SDA, se tiver dois serão respectivamente SDA e SDB e assim por diante.

No meu caso tenho apenas um HD do tipo SATA, isso significa que é identificado como SDA.

Sem conectar nenhum pendrive, ou dispositivos externo como HD ou Drive de DVD, execute o seguinte comando no terminal:

ls /dev/sd*

O comando acima mostrará todos os dispositivos que começam com a sigla SD. Veja:

5

Os números que você vê na imagem é referente a partições.

Bem agora conecte um pendrive (o que vamos usar para deixar bootável) e novamente digito o comando:

ls /dev/sd*

Veja o resultado:

Reconhecendo PENDRIVE

Reconhecendo PENDRIVE

Nosso pendrive é o SDB e os numeros as partições que esse pendrive possui…

PASSO 2. ACESSANDO O DIRETÓRIO COM A ISO

Navegue até o diretório onde está a imagem iso da distribuição linux que você vai usar, usando o comando CD. No meu caso a imagem está dentro de uma pasta ISO, que está na área de trabalho.

Pasta com a ISO

Pasta com a ISO

Então meu comando ficaria assim:

cd Área de trabalho/Isos

As barras invertidas são por conta do espaço (na verdade ele insere sozinho, usando o recurso autocomplete, do shell Bash –  basta digitar cd Á e apertar TAB que ele completa o resto do comando…. Fácil não..rsrs)

Acessando o diretório com a ISO

Acessando o diretório com a ISO

PASSO 3. CRIANDO O PENDRIVE BOOTÁVEL

Para realizar o passo abaixo é necessário logar como root, faça isso usando o comando su

Logando como root - usando o comando SU

Logando como root – usando o comando SU

Agora que estamos no diretório com a iso, basta usar o comando CAT e o redirecionador > (maior) para “jogar” o conteúdo da iso no pendrive (SDB).

cat ubunto.iso > /dev/sdb
Colocando o conteúdo da ISO no PENDRIVE

Colocando o conteúdo da ISO no PENDRIVE

Note que o cursos vai ficar piscando, então espere até voltar a linha de comando normal. Se o seu pendrive tem led que acende quando está sendo usado, veja que ela ficará acesa ou piscando enquanto o processo estiver sendo executado. Não remova o pendrive antes disso.

PENDRIVE criado com sucesso.

PENDRIVE criado com sucesso.

Pronto, agora basta configurar a máquina para bootar pela USB e aproveitar sua distro Linux “Portable”. Se você usar uma versão LIVE, então terá um Linux rodando direto do pendrive, não é legal?!

É isso pessoal, qualquer dúvida, basta perguntar…

Próximo

Postado por

Tem 26 anos. É formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela UNIMONTE, atualmente leciona Hardware e TI na Microcamp de Santos. É apaixonado pelo mundo Linux. Também faz trabalhos como web design e design gráfico. Se considera um músico de bom gosto e adepto a um bom livro de ficção.

Postagem Relacionada

GIT: versionamento e produtividade sem medo
Fala galera, tudo bem? Espero que sim, no post de hoje iremos entender de uma