anterior
Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Email this to someoneShare on Facebook
QR CODE

10 Dicas que podem salvar o seu site

Capa do post

Com a internet tornando-se cada dia mais importante como meio de comunicação e também como ferramenta de interação entre as pessoas, surgem cada vez mais interessados – estudantes ou apenas curiosos – em aprender como criar páginas e websites. Com essa rica e interessante profissão em alta, fazer um site que não seja de uma maneira profissional não é mais uma opção – se é que algum dia foi. Se você quiser ser levado a sério e se destacar, precisa desenvolver condições de desenvolver projetos memoráveis e profissionais. O artigo de hoje irá apresentar 10 dicas valiosas que podem “salvar” o seu projeto e ajuda-lo a desenvolver sites mais eficientes e bonitos.

1 – Pense simples (ou “a importância do KISS”)

Simplicidade

Se você nunca ouviu falar do principio KISS, aí vai: é uma abreviação para a expressão “Keep It Simple, Stupid”, ou seja, “mantenha isso simples, estúpido”. Eu sei que a expressão soa um pouco bruta, mas é especialmente interessante quando pensamos em seu significado para projetar websites. Afinal, projetos simples são mais fáceis de criar, tornando-os mais baratos e mais rápidos, e, dependendo do sucesso na empreitada, podem ser memoráveis e mais adaptáveis. Pense que um projeto verdadeiramente simples tem de funcionar tão bem em um smartphone tanto quanto em um monitor de 24 polegadas e se destacar na mente dos usuários. Ao invés de tentar colocar tudo o que você poderia querer em um projeto, comece por se concentrar em um elemento chave que você deseja destacar, construindo todo o resto do seu site em torno disso. Trate sua ideia central como algo que vai se destacar e levar a uma mensagem curta, mas poderosa.  Steve Krug escreveu um livro inteiro sobre isto “Não Me Faça Pensar” é uma leitura obrigatória a qualquer um que trabalhe com design, especificamente web design.

2 – Una o útil e o agradável

Usabilidade web

A usabilidade aplicada a um site é importante porque é a forma que temos para ajudar os visitantes a encontrarem as informações que eles precisam. As estatísticas mostram que, em média, um site tem apenas 8 segundos para captar a atenção de um visitante. Portanto, se o conteúdo estiver confuso, ou se o assunto principal não está claro, o visitante sai da página. Incluir um botão de pesquisa no topo da página para que os usuários possam digitar um termo para pesquisar conteúdo, ou usar mapas do site melhoram e muito a experiência de navegação. Também é importante evitar que o usuário perca tempo esperando o carregamento da página, por isso, tente diminuir os filmes em Flash e aumentar as funcionalidades em HTML5 e CSS. Antes de publicar seu site, realize testes de usabilidade. Coloque-se no lugar do usuário e analise o quão confortável e direto ou seu site está.

3 – Faça tudo acessível

Acessibilidade na web

Acessibilidade implica em não haver barreiras para os mais diversos tipos de usuários. Programar acessibilidade em web sites é mais fácil do que a maioria das pessoas pensa e os benefícios disso estão além de serem exclusivamente focados em usuários com deficiência visual. Se você souber que mecanismos de busca navegam no site “lendo apenas o código” (e não vendo) você vai entender quais os benefícios de se desenvolver com este paradigma em mente. Usar o atributo “alt” para legendar cada elemento visual é uma medida simples, mas que contribui e muito para a acessibilidade. Utilizar cabeçalhos, listas e uma estrutura consistente são outra forma de auxiliar a navegação para todos os grupos de pessoas. Sempre que possível, ao incorporar Scripts, Applets ou Widgets na sua página, forneça conteúdos alternativos para serem visualizados se as características desses elementos não forem acessíveis ou não forem suportadas pelo navegador.

4 – Use Web Standards

Padrões web

“Web Standards” é um termo definido para a criação de um padrão para construção de sites, e significa, ao pé da letra “padrões web”. Estes padrões são determinados pela W3C, órgão que rege os padrões de comunicação e acessibilidade na internet, apoiado pelas maiores empresas de tecnologia da informação do mundo. Com eles, você aprenderá o HTML da maneira correta, ou seja, usando tabelas para estruturar informações e não para construir a estrutura de um site, usar a tag <h1> para títulos em geral, tag <p> para parágrafos, entre muitas outras regras que visam a padronização das páginas na internet. A importância em utilizar web standards está na otimização do código, na facilidade e na simplicidade em sua implementação, extrema facilidade de manutenção e, de quebra, respeitando tudo isso, você ainda ganha um site otimizado para mecanismos de buscas!

 5 – Beleza não é tudo, mas é fundamental

beleza é fundamental

Um bom web designer deve sempre procurar uma forma de encontrar um equilíbrio entre forma e função. Design está intimamente relacionado em criar interfaces descomplicadas, intuitivas e sem barreiras para os usuários. É claro que navegar em uma interface agradável, bonita e que não agrida os olhos de quem está navegando não é uma tarefa fácil e muitas vezes damos muita importância à beleza em detrimento da navegação e da usabilidade, mas lembre-se que o design deva ser utilizado como uma abordagem em conjunto com os outros itens dessa lista e não como uma regra superior sobre todas as outras. Por outro lado, não esqueça que o design do seu website representa a empresa do cliente e que o faz, portanto, deve fazê-lo de uma forma concisa, limpa e visualmente agradável também é uma obrigação.

6 – Cuide bem da sua imagem

tamanho da imagem

Imagens enormes são a principal causa de páginas lentas. E otimizar suas imagens para web não é uma tarefa difícil (eu até já mencionei isso em outro post sobre como melhorar a velocidade do seu site). Sempre use imagens no tamanho exato ao campo a que se destinam, evitando comandos como “width” e “height” para redimensionar as imagens. Faça as miniaturas com CSS ou Java script, evite fazê-las com imagens e use gráficos com moderação para ilustrar algum tipo de informação, e não somente porque os achou bonitos. Evite gifs animados em excesso, além de demorar mais no carregamento, elas podem tirar o foco dos outros elementos da página. Use-os com moderação.

7- O Padrão “F” de Leitura

Leitura em F

A maioria dos povos ocidentais lê da esquerda para a direita e de cima para baixo, portanto, nada mais óbvio do que escrever nesse padrão, conhecido como padrão de leitura em F. Esse é o padrão geral de leitura e deve ser também o de escrita, para capturar a atenção do visitante nos pontos certos. Como é preciso primeiro conquistar o leitor para que depois ele de fato leia todo o conteúdo da página, algumas dicas devem ser seguidas para não perdê-lo no meio do caminho. Coisas simples, como usar os títulos da página de maneira clara e destacada, valorizar os 2 primeiros parágrafos (dizendo logo o que vai ser encontrado na página), evitar parágrafos introdutórios longos e usar listas para destacar pontos importantes. Também é importante utilizar subtítulos para especializar o conteúdo e efeitos de texto (negrito e itálico) para dar ênfase a determinadas partes do texto que queira destacar.

8 – Combine Fontes com moderação

Fontes

Procure usar fontes sem serifa para o seu site. Elas são muito mais fáceis de ler em monitores de computador, porque a resolução da tela não é tão alta quanto na impressão. Se você usar fontes com serifa para o texto normal, as letras podem aparecer “borradas” na tela tornando-as difíceis de ler. Também é importante limitar o número de fontes do site. Fazer uma salada de combinações de tipos de letras é uma das maneiras de fazer seu site parecer amador. Limite sua página e site para três ou no máximo quatro famílias de fontes padrão, esse número é mais do que o suficiente para dar uma unidade visual ao site e destacar partes do texto, isso vai torná-lo mais consistente e harmônico. Por fim, use famílias de fonte padrão. Se você pode optar por usar fontes pouco conhecidas em sua página, as chances de que um de seus leitores possua essa fonte com certeza será muito baixa. Sim, eu sei que fontes como Verdana, Arial, Helvetica podem parecer manjadas, mas é a solução mais simples e correta para que não ocorram problemas na visualização do site. Você também pode anexar as fontes pelo CSS, como escrevi neste post.

9 – Cuidado com a escolha das cores

Escala de cores

Ao escolher as cores para o seu site há muitas coisas que devem ser levadas em consideração. Como por exemplo, usar as cores da empresa e incorporá-las ao site ajuda no reconhecimento da marca. É importante que as cores que você escolher funcionem bem juntas. Usando uma combinação de cores erradas, você pode transformar o seu site em uma experiência desagradável para o leitor, causando um desconforto visual e levando-a deixar a página prematuramente. Saber o público alvo do site também é de vital importância e irá desempenhar um papel importante na seleção de cores. Como exemplo, as pessoas mais jovens tendem a gostar de cores mais vibrantes, enquanto os adultos provavelmente vão apreciar uma paleta de cores mais frias e neutras. Isso tudo ainda dependerá também do assunto principal do site, já que o tema deve influenciar diretamente na escolha das cores.

10 – Garanta uma navegação sem sustos

Navegadores

Por fim, mas não menos importante, teste suas páginas em vários navegadores. Escrever páginas da web que funcionam somente no navegador mais moderno é uma atitude suicida para o sucesso do seu projeto. A menos que você crie um site para uma intranet corporativa onde a versão do navegador é fixa, você vai ter problemas com as pessoas se elas não forem capazes de ver suas páginas!

Espero que tenham gostado da leitura. É claro que existem muitas outras dicas e regras importantes para fazer um bom trabalho, mas se seguir as que mostrei aqui, terá um bom começo.  Não esqueçam de postar os seus comentários no espaço abaixo e dar o seu curtir  para este artigo. E ajude a divulgar o Blog do Web design da Microcamp SP compartilhando com os seus amigos.

Até o próximo post!

Próximo

Postado por

Web designer, Ilustrador e produtor visual gráfico, santista de nascimento e de coração, amo o que faço e estou muito feliz em fazer parte da equipe Microcamp.

Postagem Relacionada

GIT: versionamento e produtividade sem medo
Fala galera, tudo bem? Espero que sim, no post de hoje iremos entender de uma
  • Coisas de Socorro

    Muito bom o artigo, cheguei para pesquisar a leitura em “F” e encontrei muito mais…PARABÉNS!